21.12.07

Conflitos de gerações

Ata de nº (a verificar) pág. 5. Considerações finais:

Derval Bastião, cinqüenta e dois anos e meio vividos, diácono obtuso, solicitou veementemente, em plena assembléia extraordinária realizada na igreja dos Crentes à rua Quinze versículo vinte e dois, por motivos, pelo que se cogitou, indecifráveis, que fosse trocada a cortina cor de anis da cantina por uma xadrez caqui e gris (talvez para combinar com o seu típico paletó, ganho no seu quadragésimo quinto aniversário).

Murilo da Silva Pimenta, dezessete de idade, dois de conversão e filho mais novo, desde sempre, do senhor Altamiro, requereu solenemente, por obséquio, na mesma reunião já referida, que senão rápido urgente, ocorresse um intercâmbio desta igreja com a congregação da vila das Esmeraldas, por questões, pelo que desconfiamos, religiosamente hormonais.

4 comentários:

Marcos Botelho do JV disse...

hahahhah! Este eh o fabinho! Inovando em todas as areas.
O pior que eh verdade, quando vemos o verdadeiro conteúdo das divergências entre juventude e a turma da terceira idade na igreja, algo que parece ser indissolúvel, sem conciliação. Vemos que tudo nao tem nada haver com a igreja e com Deus, na maioria das vezes eh puro interesse pessoal, e se limita no apenas no que cada um acha o que tem que ser feito. E como quem manda mais eh quem esta no poder acho que a cortina foi trocada na quarta-feira daquela semana e o intercâmbio os adolescentes estão esperando até o dia de hoje!

Jairo disse...

Neste texto, o Fábio M. Mendes nos apresenta algumas semelhanças e diferenças no conflito de gerações no ringue eclesiástico de uma assembléia extraordinária:

Os lutadores: Adulto de 52 anos X Adolescente de 17 anos.

Curriculum eclesiástico: Adulto: diácono obtuso. Adolescente: caçula da família e novo convertido.

Necessidades semelhantes do lutadores: Auto-estima e realização pessoal. O adulto busca sua auto-estima no status do poder social e religioso. O adolescente busca construir sua auto-estima nos seus encontros hormonais e sociais com o sexo oposto.

O ringue: cenário eclesiástico de uma assembléia extraordinária de governo congregacional-democrático (democrático?).

Objetivo comum da luta: Luta por interesses egocêntricos de ambas as partes.

Motivações do lutador adulto: cogita-se “indecifráveis” motivações de poder solicitadas veementemente e disfarçadas pela espiritualização do direito clerical adquirido pelo seu cargo na igreja.

Motivações do lutador adolescente: desconfiadas motivações “religiosamente hormonais” requeridas solenemente, por obséquio, com apelação de resposta rápida e urgente, mascaradas com a espiritualização de um culto no intercâmbio das igrejas.


Possível vencedor: Levando em conta de que numa “democracia” vence a ditadura do poder de quem tem mais R$ e status social, o adulto vencerá a luta no primeiro round da assembléia. Além do adulto vitorioso, temos outros vencedores: O EGO do poder e o EGO hormonal que se apresentam como destruidores dos corações e dos relacionamentos mútuos na igreja.

Possível perdedor: A igreja dos crentes em Jesus será derrotada por promover esse conflito de gerações no ringue eclesiástico e ser indiferente às diferenças e semelhanças das gerações no corpo de Cristo. Além disso, perderá muito por promover e permitir, em assembléia extraordinária, discussões polêmicas em torno de assuntos irrelevantes a vida do evangelho na igreja.

Mais uma vez, o Fábio Marque nos surpreende com um texto criativo, simples, profundo e polêmico. Ele nos apresenta um quadro real do conflito de gerações que enfrentamos nas discussões irrelevantes à vida da igreja e sociedade, promovidas numa assembléia da igreja-instituição.

Vamos repensar nosso papel de pacificadores no Reino de Deus em nossa geração. Pois,
“Bem-aventurados os pacificadores, pois serão chamados filhos de Deus.”(Mateus 5:9)

Sejamos pacificadores para que todos sejam conhecidos não pelo personagem que se vestem na teledramaturgia eclesiástica de cada domingo, mas por serem todos conhecidos, sem excessão, por serem filhos de Deus.

Abraços, meu mano Fábio!
Deus te crie com muito amor.

Jairo Filho.

Calebe Ribeiro disse...

Fabio seu texto me instigou a criar uma história sobre o grande abismo qeu existe entre esses dois personagens.
Acredito que não tem mais muita coisa para comentar, pois o jairo fez um outro texto, quer dizer, comentou o seu.

beijos.

Marcos Wlrich disse...

Opa q conteudo.....gostei do nome do blog, que Deus continue te abençoando
Graça e paz

Visitas no Vale

Ecoando no Mundo